Como projetar uma acústica perfeita em pisos, tetos e paredes

A qualidade do som pode mudar totalmente a experiência das pessoas em um espaço interior

À medida que nossas cidades se densificam e os tipos de edifícios se tornam cada vez mais mistos, tendemos a passar muito tempo em ambientes barulhentos. Quando falamos em conforto acústico, raramente pensamos em lugares como restaurantes, casas de show e grandes escritórios; locais com muitas pessoas, máquinas e ruído de fundo. A qualidade do som pode mudar totalmente a experiência das pessoas em um espaço interior, e melhorar a qualidade acústica do espaço depende do tratamento de todas as superfícies, desde paredes a tetos e pisos. Neste artigo, apresentaremos uma variedade de soluções para tetos, pisos e paredes, suas diferentes combinações, e um guia simples de como aplicá-las corretamente em espaços públicos sem comprometer a estética do interior.

A acústica é um campo muito complexo e a garantia de um ambiente acusticamente confortável depende de sua função, de quantas pessoas estão ocupando o espaço e do que é necessário em termos de configuração espacial. Quando se trata de espaços públicos, projetar uma caixa acústica perfeita é muito desafiador, uma vez que o espaço é sobrecarregado com uma compilação de vibração, música de fundo, ruído da rua e sons de máquinas, para citar alguns, tornando muito difícil filtrar e selecionar o que queremos ouvir. Consequentemente, espaços públicos mal projetados afetam a produtividade e o bem-estar dos indivíduos que passam o tempo naquele espaço. Muitas vezes, a criação de ambientes acusticamente confortáveis ​​é relegada a cinemas, salas de concertos e estúdios de gravação, espaços que exigem ambientes "com ruído reduzido". Mas outras instalações públicas, como escolas, hospitais e instalações esportivas, exigem a mesma consideração quando se trata ao conforto acústico, tendo em conta as paredes, o teto e o pavimento na concepção do espaço.

 

 

 

A qualidade acústica interna depende de quanto som está sendo transmitido para o espaço e como está sendo controlado. O que nossos ouvidos percebem varia com relação aos níveis de reverberação e absorção do espaço que estamos circundados, e esses dois fatores podem ser avaliados através da medição dos níveis de som e da acústica da sala. O nível de som é medido pelos níveis de ruído de fundo versus níveis de ruído de pico, enquanto a acústica da sala é medida pelo tempo de reverberação, nível de inteligibilidade e nível de privacidade. A unidade de medida de som mais comumente usada é o decibel (dB), que determina as variações de pressão. Ciclos de vibração por segundo determinam o tom, ou frequência, medido em Hertz (Hz).

É fundamental compreender que existem duas categorias técnicas utilizadas na acústica: insonorização e tratamento acústico; isolamento acústico significa "menos ruído" e tratamento significa "melhor som". Ambas as categorias podem ser aplicadas a paredes, tetos e pisos, dependendo do que o espaço interno requer. Se a ideia é reduzir o ruído de entrada ou saída de uma sala, a massa estrutural das paredes, do piso e do teto deve ser aumentada e os espaços de ventilação das janelas e portas devem ser vedados. Mas se o objetivo é tornar o ambiente mais agradável e com menos reverberação, o que buscamos é absorver o som.

 

 

 

 

Espaços com planta aberta, como escritórios e instalações esportivas, requerem atenção especial à acústica em todas as superfícies possíveis. Uma vez que as paredes são mínimas em tais espaços, a solução acústica é idealmente implementada em tetos e pisos. Embora os tetos sejam frequentemente esquecidos em projetos arquitetônicos, eles têm características importantes que podem ser incorporadas ao projeto, como propriedades térmicas e acústicas. Os tetos combinam funcionalidade e estética através da estratificação de diferentes materiais, texturas e cores, garantindo qualidade e conforto nos espaços interiores. No que diz respeito à acústica, a incorporação de materiais que possam absorver o som, como os painéis fibrosos, podem tornar o espaço interno mais confortável, já que o som que atinge o material não é refletido de volta. Esteticamente, os arquitetos têm explorado o potencial do projeto de tetos empregando painéis que acentuam a estrutura do interior, como pode ser visto no Gabinete da Capitania de Canoa Arquitetura, Restaurante Whey de Snøhetta e Restaurante Cave de Koichi Takada Architects, ou permitindo que esses painéis se destaquem por conta própria como elementos decorativos.

Em projetos com planta aberta e tetos expostos, as soluções acústicas são melhor implementadas no piso. Mesmo em espaços como escolas ou playgrounds internos, onde as crianças estão correndo e pulando, as soluções acústicas adequadas nos pisos criam uma atmosfera mais calma e reduzem os distúrbios nos pisos inferiores. Quando se trata de soluções para pisos, o objetivo é tornar o espaço à prova de som e não tratá-lo acusticamente. Normalmente, materiais de isolamento acústico são instalados abaixo da superfície para reduzir a quantidade de ruído emitido, como lã sob os painéis de madeira. Em alguns projetos, é possível instalar um material de absorção de som, semelhante a tapetes, como uma superfície final decorativa do piso.

Talvez a solução acústica mais comumente usada seja o painel de parede, e como as paredes ocupam uma grande parte do espaço, muitas vezes é solicitado que uma solução de correção acústica combine cancelamento de ruído e resistência ao impacto com um design atraente. Ao instalar absorvedores e difusores nas paredes, o nível de ruído indesejável, como eco e reverberação, é bastante reduzido, tornando mais confortável ocupar o espaço por mais tempo. Em restaurantes, por exemplo, a interferência excessiva de ruído pode acontecer devido a várias pessoas conversando entre si. Quando o espaço é barulhento, as pessoas são forçadas a falar ainda mais alto para que possam ouvir umas às outras, adicionando mais desconforto ao espaço. Cobrir as paredes com painéis acústicos adequados e usar material de absorção de som, como madeira e tecidos, ajuda a reduzir o ruído que circula no espaço.

 

A abordagem ideal para espaços com muito ruído é combinar as três soluções acústicas, o que tem motivado as empresas a encontrar formas inovadoras de projetar e fabricar produtos e sistemas acústicos com tudo incluído que contribuem para um bom ambiente de trabalho. No projeto Synergy de Brückner & Brückner Architekten, de um mosteiro a um conservatório de música, as salas de ensaio são totalmente equipadas com acústica de última geração para garantir a melhor qualidade de som. No entanto, em interiores com restrições espaciais, como elementos de água, plantas abertas e ventilação exposta, uma pesquisa mais detalhada é recomendada para encontrar a solução mais eficaz. Felizmente, as soluções de isolamento acústico e de tratamento acústico tornaram-se acessíveis, modulares e decorativas, tornando possível para o arquiteto ser criativo e garantindo um ambiente confortável.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Carregando... Aguarde